Imprimir

Melhor jogo do Fla desde a saída de Ronaldinho Gaúcho. Como Cléber Santana não se furta a marcar e Léo Moura é lateral, o mengo marcava como quem tem quatro volantes e jogava como quem tem dois meias. O resultado seria o mesmo com Ibson, Bottinelli ou Luiz Antônio em campo, só que a fase de Ibson e Luiz Antonio é péssima. Mas não foi esse o ponto mais importante. 

O ponto mais importante foi Liédson, como um centroavante deixando Vagner Love (sempre o melhor do Flamengo) livre, o time tinha chance de tabelas pelo meio e finalizava mais, além disso com dois homens de área as jogadas pelas pontas tinham dois alvos e a marcação adversaria mais trabalho (exemplo perfeito foi o segundo gol). 

Nessa formação o Fla consegue criar mesmo contra uma defesa arrumada e não apenas de contra-ataque, não é como quando tinha 3 atacantes e na pratica 2 jogadores a menos que erravam tudo que tentaram (sim estou falando da molecada, Negueba, Matheus, Nixon e até Thomaz e Adryan que comprometiam menos, mas não estão prontos ainda). 

Na defesa também valeu o obvio, sem Muralha ou Wellington comprometendo e com Cáceres e Frauches ao lado de Gonzales a defesa não foi excelente, apenas não foi uma peneira que comprometia como era antes. Com esse time e sem a medonha formação com três atacantes, Flamengo fica a apenas 3 vitórias dos 43 pontos que em teoria livram do rebaixamento, o que com mais 13 jogos pela frente e jogando assim não parece nada difícil. 

Ronaldinho é muito vaiado pela torcida do Flamengo

Leia mais:Ronaldinho é muito vaiado e não ajuda o Atlético-MG que perde para o Flamengo por 2 x 1